quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Eu quero ficar perto
De tudo que acho certo
Até o dia em que eu
Mudar de opinião
A minha experiência
Meu pacto com a ciência
Meu conhecimento
É minha distração

Coisas que eu sei
Eu adivinho
Sem ninguém ter me contado
Coisas que eu sei
O meu rádio relógio
Mostra o tempo errado
Aperte o Play

Eu gosto do meu quarto
Do meu desarrumado
Ninguém sabe mexer
Na minha confusão
É o meu ponto de vista
Não aceito turistas
Meu mundo tá fechado
Pra visitação

Coisas que eu sei
O medo mora perto
Das idéias loucas
Coisas que eu sei
Se eu for eu vou assim
Não vou trocar de roupa
É minha lei

Eu corto os meus dobrados
Acerto os meus pecados
Ninguém pergunta mais
Depois que eu já paguei
Eu vejo o filme em pausas
Eu imagino casas
Depois eu já nem lembro
Do que eu desenhei

Coisas que eu sei
Não guardo mais agendas
No meu celular
Coisas que eu sei
Eu compro aparelhos
Que eu não sei usar
Eu já comprei

As vezes dá preguiça
Na areia movediça
Quanto mais eu mexo
Mais afundo em mim
Eu moro num cenário
Do lado imaginário
Eu entro e saio sempre
Quando estou a fim

Coisas que eu sei
As noites ficam claras
No raiar do dia
Coisas que eu sei
São coisas que antes
Eu somente não sabia
Coisas que eu sei
As noites ficam claras
No raiar do dia
Coisas que eu sei
São coisas que antes
Eu somente não sabia

Agora eu sei
Agora eu sei

Agora eu sei
O meu desafio é andar sozinho
Esperar no tempo os nossos destinos
Não olhar pra trás, esperar a paz
O que me traz
A ausência do seu olhar


domingo, 14 de janeiro de 2018

Na margem do rio Piedra...


...eu sentei e chorei. Conta a lenda que tudo que cai nas águas deste rio - as folhas, os insetos, as penas das aves - se transforma nas pedras do seu leito. Ah, quem dera eu pudesse arrancar o coração do meu peito e atirá-lo na correnteza, e então não haveria mais dor, nem saudade, nem lembranças.
(...) Que as minhas lágrimas corram assim para bem longe, para que meu amor nunca saiba que um dia chorei por ele. Que minhas lágrimas corram para bem longe (...)

quinta-feira, 30 de novembro de 2017


Sinto como se estivesse vivendo a mesma história só que com personagens diferentes.
Acreditem quando digo que está tudo mais do mesmo é porque realmente está. As pessoas a minha volta parecem gostar de fazer as mesmas coisas que já fizerem antes.
Tenho a sensação de que estou num ciclo sem fim.
Entra gente, sai gente e as coisas são exatamente iguais.
Lembro-se de quando o primo do meu ex faleceu. Eu tentei de todas as formas estar perto dele, mas ele não me queria por perto.
Hoje, anos depois do ocorrido acima descrito, uma pessoa querida do meu princeso faleceu e o que ele faz? Me mantém distante, mesmo eu querendo ajudar.
Tenho a sensação de que você foi visitar o meu passado e por isso está fazendo as mesmas coisas.
Por que essa é realmente a única explicação que tenho.
É um misto de raiva, tristeza e decepção.
Eu queria que você precisasse de mim. Que me quisesse por perto. Mas ao que parece a única pessoa que é dependente aqui sou eu.
As coisas não andam bem e parece que a cada dia piora ainda mais.

domingo, 10 de setembro de 2017

Casa é um lugar onde você tem um lugar para dormir, comer. É um lugar onde você passa alguma horas do seu dia cuidando de coisas triviais.
LAR é um lugar onde você se sente em casa.
É um lugar ao qual você pertence e que pertence a você.
É um lugar cheio de paz e amor.
Um lugar cheio de união, companheirismo, cumplicidade.
É um lugar onde você quer estar.
Dito meu pequenos conceitos sobre casa e lar, definitivamente digo que tenho uma casa e ponto.
Isso mesmo, não tenho vontade de estar aqui. Ai você me pergunta , mas por que??
Minha resposta é simples: porque aqui, junto com você papito, é único lugar que não tenho paz.
Você tem o dom de ser a pessoa mais insuportável do mundo, e o pior é que não faz questão nenhuma de ser alguém melhor.
Chega!!
Minha tolerância, paciência acabou.